Concursos literários no Blog Acesso

Concursos literários incentivam novos escritores
Por Bernardo Viana / Blog Acesso

O número de concursos literários realizados ao longo do ano, em todo o país, soma algumas dezenas. Eles se apresentam das formas mais variadas, desde modestos concursos de redação para estudantes até grandes prêmios para a publicação de obras de diferentes gêneros literários. São iniciativas de secretarias de cultura municipais, de editoras ou de instituições culturais que têm como objetivo incentivar a produção literária no Brasil.

Para alguns escritores, tais concursos podem representar a possibilidade de colocar à prova a qualidade de seus textos, submetendo-os à opinião de especialistas. Para outros, significam uma oportunidade de ter seu trabalho publicado. O jornalista Rafael de Castro Caetano acredita que os concursos são, principalmente, uma espécie de laboratório. “Vou publicar um livro, mas antes queria saber como as pessoas reagem ao que escrevo. Como uma espécie de laboratório, sabe? Queria conhecer a opinião de pessoas que não são próximas”, explica.

Rafael diz que perdeu a conta de quantos concursos participou. “Passei anos sem receber sequer uma menção honrosa”, comenta. A primeira conquista do jornalista no campo dos prêmios literários veio em 2007. Rafael ficou em segundo lugar no Concurso Nacional de Poesia de Mogi-Guaçú. “Viajei para Mogi-Guaçú e participei da cerimônia, numa cidade desconhecida para mim. Recebi uma homenagem, com direito a certificado, exemplar da antologia e troféu”, relembra.

O advogado Diogo Parra também participa de concursos literários, em geral, focados no gênero conto. “Fiquei em segundo lugar por duas vezes. A primeira em um concurso de jornalismo literário organizado por um festival de jazz de Belo Horizonte. E, em 2011, foi a vez do concurso de contos da Academia Jundiaiense de Letras”, conta. Para Diogo, o reconhecimento prestado pela premiação em um concurso literário é uma forma de incentivo. “O sujeito adquire um pouco de confiança”, completa.

Assim como Rafael, Diogo também vê nos concursos uma forma de colocar seu texto à prova. Segundo o advogado, “julgar a própria criação é algo extremamente complicado. Então, os concursos, com o julgamento feito por outras pessoas, podem ajudar com isso”.

Diogo, porém, faz uma crítica à organização de alguns concursos. “Já tive de ligar para uma comissão organizadora para esclarecer uma questão e simplesmente não consegui falar com ninguém. Isso assusta e gera desconfiança sobre a seriedade do concurso, especialmente sobre o julgamento. A organização de um concurso deveria ser séria e transparente. Os participantes precisam dessa segurança, pois ao enviar seus textos, estão confiando um pedaço de si”, conclui.

Atualmente, os escritores interessados em participar de concursos literários contam com alguns aliados no momento de selecionar os certames para os quais enviar seus textos. Blogs e comunidades em redes sociais movimentam grande número de pessoas interessadas em divulgar prazos de inscrição, trocar informações sobre a organização dos concursos e até mesmo sobre as melhores formas de enviar os textos por correio. É o caso de sites como o Benfazeja Comunidade Literária ; blogs como o Concursos Literários , e comunidades como a do Orkut Concursos Literários.