22 de agosto de 2011

Resultado - Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura



Escritor ganha R$ 150 mil pelo Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura

João Almino, com o livro “Cidade Livre” (Record), foi o vencedor do Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura 2011, anunciado nesta segunda (22) durante a sessão de abertura da 14ª Jornada Nacional de Literatura. Ele recebeu R$ 150 mil pelo livro considerado o melhor romance em língua portuguesa dos dois últimos anos. O anúncio foi feito pela presidente da Comissão Julgadora, Regina Zilberman.

- Atravessei o Atlântico desde a Espanha para receber esse prêmio. E este é o melhor momento para um filho do Rio Grande do Norte conhecer o Rio Grande do Sul, essa terra com uma longa e forte tradição literária que é Passo Fundo, cuja tradição é reconhecida para além das fronteiras nacionais. Os dez finalistas são excelentes escritores; é uma alegria estar em sua companhia. Felicito a professora Tania e a cidade de Passo Fundo pelas Jornadas Literárias.

A obra é o quinto livro de uma série dedicada à epopéia moderna da Fundação de Brasília, contando de forma inovadora e até com linguagem da Internet a história dos operários que ergueram a nova capital do Brasil, entre 1956 e 1960. Essa história é contada pelos depoimentos de um homem que viveu em Brasília nesse período, resgatados por seu filho blogueiro.

João Almino é escritor e diplomata. Nasceu no Rio Grande do Norte, em 1950. É autor do “Quinteto de Brasília”, composto pelos romances “Ideias para onde passar o fim do mundo” (de 1987, ganhador do Prêmio do Instituto Nacional do Livro e do Prêmio Candando de Literatura), “Samba-Enredo (1994), As Cinco Estações do Amor (de 2001, Prêmio Casa de las Américas, em 2003), O Livro das Emoções” (Record, de 2008) e “Cidade Livre” (Record, 2010), finalista do Prêmio Portugal Telecom de Literatura. Tem escritos de história e filosofia política considerados referência para os estudiosos do autoritarismo e a democracia e entre eles destacam-se “Os Democratas Autoritários” (1980), “Era uma vez uma Constituinte “ (1985) e “O Segredo e a Informação” (1986). Escreveu , ainda, em 2004 “Naturezas Mortas”- A Filosofia Política do Ecologismo.

Almino fez sua formação em Paris, orientado pelo filósofo Claude Lefort. Foi professor da UNAM (México), UnB, Instituto Rio Branbco, Berkeley, Stanford e Universidade de Chicago.

Comissão Julgadora
Além de Regina Zilberman, integraram a comissão julgadora do 7º Prêmio Zaffari & Bourbon de Literatura o escritor Ignácio de Loyola Brandão, coordenador de debates das Jornadas Literárias; José Luís Jobim de Salles Fonseca, professor titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor Associado da Universidade Federal Fluminense; Miguel Sanches Neto, professor-associado de Literatura Brasileira na Universidade Estadual de Ponta Grossa; e Benjamin Abdala Junior, professor titular da Universidade de São Paulo e pesquisador do CNPq. A empresa Audisa Auditores Associados é a responsável pela auditoria da premiação.

Os dez finalistas foram Adriana Lisboa, com o livro “Azul-corvo” (Rocco); Cristovão Tezza, com “Um erro emocional” (Record); Helder Macedo, com “Natália” (Azougue Editorial); João Almino, com “Cidade Livre” (Record); João Silvério Trevisan, com o livro “Rei do Cheiro” (Record); Luiz Ruffato, com “Estive em Lisboa e lembrei de você” (Cia das Letras); Michel Laub, com “Diário da queda” (Cia das Letras) ; Pepetela, com a obra “O planalto e a estepe” (Leya Brasil); Rodrigo Lacerda, com “Outra Vida” (Alfaguara) e Rubens Figueiredo, com “Passageiro do fim do dia” (Cia das Letras).