5 de junho de 2013

Lydia Davis vence prémio Man Booker International

A escritora norte-americana Lydia Davis, autora de narrativas muito curtas, venceu o prémio literário Man Booker International, anunciou a organização, em Londres.

O prémio, bienal e no valor de 70 mil euros, distingue um autor que tenha contribuído para a ficção literária internacional.

Lydia Davis, 65 anos e a viver em Nova Iorque, é conhecida sobretudo pelo trabalho como contista, autora de micronarrativas, algumas com apenas uma frase ou um parágrafo.

No ano passado, a Relógio d'Água publicou "Contos completos", da autora.

O júri do Man Booker International reconheceu-lhe a originalidade e a criatividade da escrita, difícil de catalogar, assim como a habilidade e o esforço - e não a preguiça como diz um dos seus contos - em escrever de forma tão sucinta.

"Já foram chamados de contos, mas podem ser definidos como miniaturas, anedotas, ensaios, piadas, fábulas, textos, aforismos, apotegma, orações ou simples observações", disse o presidente do júri, Christopher Ricks, citado pela agência noticiosa AFP.

Lydia Davis escreveu apenas um romance - "The end of the story" (1995) -, publicou nove coletâneas de contos, e traduziu obras de Marcel Proust ou Gustave Flaubert, valendo-lhe uma condecoração pelo Governo de França.

Em 2011 o prémio Man Booker International foi atribuído ao escritor norte-americano Philip Roth e emn 2009 à canadiana Alice Munro.


Fonte: