Olhos brancos (Anna Lisboa)

Segue o terceiro dos textos selecionados no 2º Desafio Escrita Criativa

3 votos
Olhos brancos
por Anna Lisboa (Vinhedo - SP)

Queria gritar 4.300 Km de ditadura sem língua, sem dentes, sem saída. Escolheu linha vermelha, linha vermelha e linha vermelha. Pôs uma agulha no pano, outra na alma e começou a reza de ponto em ponto, bordando com olhos brancos. Pedia o céu e uma agulha a tal Maria da Resistência parida. Vivia lá, em todo canto que ninguém ouvia, linda e muda. Não pensava na morte, mas sabia seu nome, não pensava na fome, mas conhecia seus donos. O sol do lado direito, o tempo do lado de cima, a luta do lado de fora. Foi Maria da Resistência contar a cena, em todo canto que ninguém limpava. Queria gritar 4.300 Km de liberdade, com língua, com dentes, com todos e assim o fez. Ontem, a vi no mundo, bordando sonhos em retalhos transparentes.