30 de janeiro de 2013

27.04.2013 - Concurso Lusófono da Trofa - Conto Infantil - Prémio Matilde Rosa Araújo (Portugal)

Informações:
a) Concurso de Contos Infantis (e Ilustrações)
b) O prazo final refere-se ao recebimento dos textos (e não à remessa pelos correios)
c) Aberto a autores dos seguintes países: Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor

Premiação:
I) 1º geral - € 1.500 / 1º nos outros países: € 400

Prazo: 27 de Abril de 2013


Fonte:
http://www.mun-trofa.pt/filecontrol/site/Doc/REGULAMENTO%20CLT%202013.pdf


Organização:
Câmara Municipal da Trofa
Casa da Cultura da Trofa

Contato e Dúvidas:
cct@mun-trofa.pt


Regulamento:
SECÇÃO I
Introdução
1.º A Câmara Municipal da Trofa, através do Pelouro da Cultura, organiza, anualmente, um Concurso Literário destinado a promover obras de Literatura Infantil.

SECÇÃO II
Disposições gerais

SUBSECÇÃO I
Objetivos
2.º São objetivos deste concurso:
a) Criar e/ou consolidar hábitos de leitura
b) Criar e/ou consolidar hábitos de escrita
c) Promover a escrita criativa/valorizar a expressão literária
d) Divulgar autores de língua oficial portuguesa dos seguintes países: Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor.

SUBSECÇÃO II
Entidade promotora
3.º A entidade promotora é a Câmara Municipal da Trofa - Pelouro da Cultura, com o apoio do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.

SUBSECÇÃO III
Objeto
4.º Este concurso destina-se a promover e a consolidar hábitos de leitura e de escrita criativa, através de uma atividade que estimule um envolvimento efetivo da população.

SUBSECÇÃO IV
Destinatários
5.º O concurso destina-se a cidadãos - escritores ou não.
5.º a) Não poderão concorrer cidadãos escritores com mais de três obras publicadas na área da Literatura Infantil.
6.º Serão admitidos a concurso cidadãos dos países de língua oficial portuguesa e ainda cidadãos naturalizados e estrangeiros cuja situação de permanência no país esteja devidamente legalizada e com residência comprovada há mais de 2 (dois) anos, até ao dia 31 de Dezembro de 2012.
7.º O participante assumirá o compromisso de conhecer e cumprir este Regulamento e acatar as decisões adotadas pelo Pelouro da Cultura, entidade responsável pelo planeamento, coordenação e direção do Concurso.

SUBSECÇÃO V
Prémios
8.º O Concurso Lusófono da Trofa - Conto Infantil - Prémio Matilde Rosa Araújo concederá os seguintes prémios:
Prémio Matilde Rosa Araújo, no valor de € 1.500 (mil e quinhentos euros), para o Melhor Conto.
Prémio Lusofonia, no valor de € 400 (quatrocentos euros), para o Melhor Conto a ser atribuído a cada país que não seja contemplado com o prémio Matilde Rosa Araújo.
Prémio Ilustração, no valor de € 500 (quinhentos euros). Os ilustradores concorrerão com um número de três a cinco ilustrações subordinadas ao seguinte excerto da obra de Matilde Rosa Araújo, As Fadas Verdes:

“PORQUÊ?
Com as mãos sobre a terra
Fiz o pino e vi peixes de prata no céu
Estrelas de oiro sobre o mar
O céu era verde e azul também
Remavam remadores
No mar e no céu
Anjos e pescadores
Porque dormes minha Mãe
E me embalas a sonhar?”

9.º O Vencedor do Prémio Ilustração poderá ser convidado a ilustrar o conto vencedor do Prémio “Matilde Rosa Araújo”.
10.º A divulgação dos vencedores e a cerimónia de entrega dos prémios serão realizadas no mês de Novembro de 2013. O nome dos vencedores será publicado nos sítios da Câmara Municipal da Trofa (www.mun-trofa.pt) e Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.(www.instituto-camoes.pt) nos cinco dias úteis imediatamente a seguir à cerimónia de entrega dos prémios. Apenas os premiados serão notificados por ofício ou via telefone.

SECÇÃO III
Disposições específicas

SUBSECÇÃO I
Entrega dos trabalhos
11.º Os trabalhos a concurso deverão ser entregues, em mão ou via correio, até às 17h00 do dia 27 de Abril de 2013:

Portugal
a) Em mão: na Casa da Cultura da Trofa, Avenida D. Diogo Mourato, durante o horário do expediente - de segunda a sexta-feira das 9h00-12h30/14h00-17h30, no Gabinete de Animação Cultural;

b) Via correio: através de carta registada com aviso de receção, dirigida ao Sr. Vereador do Pelouro da Cultura - Câmara Municipal da Trofa, Edifício Sede Pólo 1, Rua das Indústrias, 393, Apartado 65, 4785-624 Trofa.


Angola - Centro Cultural Português em Luanda
Dr. João Pignateli Freitas
Av. de Portugal, nº 50 - Luanda


Brasil - Centro Cultural Português em Brasília
Dr. Adriano Jordão
Embaixada de Portugal - SES Av. das Nações - Quadra 801, lote 2 - CEP 70402-900 - Brasília - DF


Cabo Verde - Centro Cultural Português na Praia
Dr. João Laurentino Neves
Embaixada de Portugal - C.P. 160 - Praia

Centro Cultural Português na Praia - Pólo no Mindelo
Dra. Ana Cordeiro
Caixa Postal 76 - Mindelo


Guiné-Bissau - Centro Cultural Português em Bissau
Dr. Henrique AzevedoEmbaixada de Portugal - Av. Cidade de Lisboa - C.P. 276 - Bissau


Moçambique - Centro Cultural Português em Maputo
Dr. António Santos Braga
Av. Julius Nyerere, 720 - 1º - C.P. 4696 -Maputo

Centro Cultural Português em Maputo - Pólo na Beira
A/c Dr. Rui Vicente de Azevedo

Consulado-Geral na Beira - Rua António Enes, 148/149 - r/c -Beira


S. Tomé e Príncipe - Centro Cultural Português em S. Tomé
Dra. Márcia Almeida
Rua Patrice Lumumba - Caixa Postal 454 - S. Tomé e Príncipe

Centro Cultural Português em S. Tomé - Pólo na Ilha do Príncipe
Dr. Pedro Simões
Caixa Postal 10 - Cidade de Santo António - Ilha do Príncipe


Timor - Centro Cultural Português em Díli
Dra. Maria de Jesus Chaves
Edifício ACAIT - Av. Tenente Nicolau Lobato - Díli

12.º Os trabalhos deverão ser enviados ou entregues em envelope fechado, com indicação do concurso e inscrição do pseudónimo no espaço destinado ao remetente - ver artigo 17.º, alínea b).
13.º Não serão aceites trabalhos cuja data do carimbo dos correios seja posterior à data limite.

SUBSECÇÃO II
Receção dos trabalhos
14.º Os trabalhos entregues em mão em cada país serão numerados por ordem de entrega, à frente do concorrente.
15.º As propostas enviadas por correio, registadas com aviso de recepção, serão encaminhadas internamente para o secretariado do concurso, sendo-lhes atribuído o número de entrada correspondente.

SUBSECÇÃO III
Sobre o trabalho
16.º Podem ser apresentados trabalhos colectivos.
17.º Cada candidato só pode apresentar um trabalho.
18.º Os contos podem ter ou não ilustração, não ultrapassando em quaisquer dos casos o limite de 15 páginas.
19.º As imposições técnicas são as seguintes:
a) O texto deverá ter até 15 páginas A4, com espaçamento duplo entre linhas, com tipo de letra Times New Roman, tamanho 12;
b) Os textos deverão ser entregues em envelope contendo no interior 2 envelopes: num deverá constar o texto original em papel com 6 cópias, e no outro um CD contendo o texto em formato Microsoft Word for Windows (.DOC) e as indicações pessoais (nome, morada, profissão, número de telefone, data de nascimento e número de identificação fiscal) do/s candidato/s numa folha de papel e no CD e, sendo o caso de candidatos com contos publicados, o nome dos mesmos. Deve constar em todos os envelopes, no exterior, o pseudónimo com que se assinou o texto;
c) Nas folhas do trabalho não pode constar qualquer indicação sobre o concorrente, sob pena de este vir a ser excluído.

SUBSECÇÃO IV
Preparação para a apreciação dos trabalhos
20.º Os contos a avaliar não podem conter indicações pessoais do concorrente.
21.º Cinco dias úteis após o término do prazo de entrega, proceder-se-á à abertura de todos os envelopes, sendo colocado o número atribuído no ato de entrega, constante do envelope, no respetivo trabalho e cópias.
21.º Os envelopes com a identificação do concorrente serão guardados em instalações de uso exclusivo ao secretariado do concurso.

SUBSECÇÃO V
Critérios de apreciação
23.º Os critérios de apreciação serão os seguintes:
a) Criatividade / inovação;
b) Qualidade literária;
c) Organização;
d) Coerência e coesão do texto;
e) Obediência às características do género em questão.

SUBSECÇÃO VI
Júri24.º Os trabalhos serão avaliados por um júri de pré-seleção que, de acordo com os critérios previamente definidos, selecionará os melhores contos para serem avaliados pelo júri final.
25.º Caberá ao Júri decidir sobre os casos omissos neste Regulamento.
26.º Das decisões do Júri não haverá recurso.
27.º Os membros dos Júris serão dados a conhecer em momento oportuno.
28.º Caso os trabalhos não apresentem qualidade, o Júri reserva o direito de não atribuir prémio.
29.º Os membros dos Júris não terão acesso aos dados pessoais, cabendo ao secretariado do concurso zelar pela manutenção do sigilo durante todo o processo de apreciação e avaliação dos contos.

SECÇÃO IV
Direitos intelectuais / direitos de autor
30.º Só poderão ser submetidos a concurso textos inéditos, pelo que qualquer indício de plágio será punível com a desqualificação do conto.
31.º Os concorrentes não premiados interessados em reaver os seus trabalhos poderão proceder ao seu levantamento, mediante requisição por escrito e apresentação do BI ou através do envio de um envelope verde dos CTT, contendo fotocópia do BI e carta de pedido de devolução com a respetiva identificação do trabalho.
32.º Os contos não premiados serão eliminados ao fim de 3 anos, após a sua recepção, em data a definir pela Câmara Municipal da Trofa.

SECÇÃO V
Direitos de utilização
33.º Os autores autorizam a divulgação e utilização, de forma gratuita, dos contose das ilustrações em toda e qualquer atividade promovida pela Câmara Municipal da Trofa e Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.